quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Histórias de amor...

Fonte da foto aqui

Acabo de ver "O amor em tempo de cólera", um filme de Mike Newell baseado na obra homónima de Gabriel García Márquez. Não li ainda o livro mas vou ler porque sei que o que passou no filme foi apenas, como sempre acontece, a visão do realizador.

Quero ter a minha. Quero imaginar os personagem a partir da descrição do mestre. Quero saber como escreveu a resposta ao pedido de casamento porque agora apenas recordo que disse que sim, que casaria se -e há sempre um se- nunca a obrigasse a comer beringela!

Quem acredite que nunca é tarde para amar deve ver este filme ou ler o livro. Quem seria capaz de casar com alguém respeitando o desejo de nunca a obrigar a comer beringelas, ou brócolos, ou peixe espada... deve ver também.

Esperar, virgem, 50 anos, por um amor afinal é possível, pelo menos segundo GGM(*)

Uma lua de mel num barco, quando ela tinha 72 anos também. Mesmo que para que o barco não tenha que parar seja preciso fingir que, em vez de amor, há apenas cólera no seu interior.


(*) segundo o seu próprio conceito de virgindade.

2 comentários:

deep disse...

Não vi o filme, mas li, há algum tempo, o livro, de que gostei bastante. O amor deles só não resultou, porque ela preferiu a riqueza e o estatuto do homem com quem casou. Ela não merecia, pelo menos no livro, toda a dedicação dele!

Um abraço :)

vaandando disse...

Perdi o filme no domingo passado em reposição , li o livro e gostei , hei-de voltar a lê-lo... Ah , gosto imenso de beringelas e sei cozinhá-las de diversas formas!
abraço amigo____________
Zé marto