quinta-feira, 3 de julho de 2008

Sobre correntes, elos e ligações



Solta amarras,
Solta as correntes, vai ao sabor do vento e das marés…

E se elas existirem, as correntes, que sejam elos e não amarras.
Fortes, mas abertos, espontâneos e livres…
…assim como o mercúrio na palma da mão, fechada ela não o agarra, aberta ele fica.

E que não se enferrujem, nem com água, nem com o sal e o doce da vida,
Que sejam laços, francas uniões…
…assim como as amizades sem tempo, nem espaço, nem lugar algum, apenas (e tanto) só sentimento.

E se por um acaso, ela surgir, a ferrugem, que seja uma marca que o tempo deixou…apenas a marca da vida. E não do aperto e da angústia, como se algo nos quisesse sufocar e ancorar.

E se for uma âncora, a corrente, que nos leve a um porto bom, caloroso e seguro, onde ficamos apenas porque queremos ficar… e permanecer.


Nota: Muito obrigado por mais este lindo texto... Vamos seguir a proposta da ~CC~ e fazer uma sardinhada à beira Sado? Atenção que o prémio, a partir de agora, será apenas a companhia... Mas nisso tenho a certeza que seremos todos premiados! Venham mais textos e amigos para a sardinhada pois... não há prazos nem limites para receber as palavras dos amigos!

8 comentários:

CCF disse...

Que bom! A girafinha escreveu mesmo...e um texto tão bonito, de onde tiro esse pequeno pedaço "assim como as amizades sem tempo, nem espaço, nem lugar algum, apenas(e tanto) só sentimento".
Abraços
~CC~

Anónimo disse...

... de apelo , bonito o texto da girafa...
bem hajas
abraço amigo
José Ribeiro Marto

Girafa cor de rosa disse...

Não tem nada que agradecer! É com muito gosto que alinho nestes desafios, mas acho sempre que ficam aquém das fotos!! Muito obrigada tb pelas palavras da ccf (gostas mesmo?!!) e do José Ribeiro Marto, ainda bem que não se vê a minha cara a corar na internet:))

Quanto à sardinhada, adoro sardinhadas e conversas então À beira Sado...maravilhoso! No entanto, ainda estou em Viseu (longe portanto!!) e só vou rumo a sul lá para 20 de Julho!! E depois só aceitava se fosse possível avistar golfinhos no Sado (ainda)!! Muitíssimo obrigada na mesma:))!

mjf disse...

Olá!
Amiga Girafinha...lindo, sensivel...adorei :=)
Essencialmente :
"Que sejam laços, francas uniões…
…assim como as amizades sem tempo, nem espaço, nem lugar algum, apenas (e tanto) só sentimento."

Beijocas e bem hajas
Bom fim de semana

Prof. Teresa disse...

adorei! beijos!

BlueVelvet disse...

As minhas desculpas ao dono do blog por deixar aqui o comentário para A Girafinha...
Estavas mesmo inspirada.
Viste coisas que eu não vi na fotografia e as voltas que déstes às correntes para se tornarem só coisas boas, como elos, amizade e porto seguro, foi genial.
Parabéns.

JvT disse...

Olá Bluevelet,

Não há nada a desculpar... esteja à vontade...

abraço
João

Anónimo disse...

... E belo , sei-te assim grande , grande , grande observadora do tempo , do tempo em ti , do tempo dos outros em ti , do teu tempo ... Saberás ouvir sempre o tempo porque vens do tempo dos vendavais , da luz e da penumbra , da treva pouco , festejas nos outros a tua lucidez, dados aos outros, e eles , de certo, serão ou estarão nalgum traço invísivel desses vincos que te acordam no espelho ...
Conheço um pouco dos teus olhos lindos, não me chames parvo , e só te sei dizer uma pequenita palavra ou meia frase ... sabes qual ?
abraço carinhoso
José Ribeiro Marto