sábado, 19 de julho de 2008

Madeleine, Jacques Brel

1 comentário:

escrevinhadora disse...

Oh! que Madeleine aquela que náo se comovia com a tenacidade ingénua de um romântico...