quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Qand il est mort le poète, Gilbert Bécaud

2 comentários:

marta disse...

dos melhores poemas e interpretações de Gilber Bécaud

não ouvi agora, se não choro, mas venho cá amanhã, que espero a nostalgia esteja mais arejada.

JvT disse...

Ok, Já sabia que não liam... mas podem ouvir (desde que não chorem muito!).

Vou colocar uma, bem mais alegre, de que também gosto muito.

Abraço
João