quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Escolas onde se dorme.



A minha aldeia é tão pequena que já nem tem escola (nem é aldeia... é um lugar!)... Ou melhor, é tão pequena que até se pode dormir na escola!
Com as cegonhas em greve, alguém resolveu aproveitar as antigas escolas das aldeias do concelho para fazer apartamentos que se podem alugar.
Lembro-me do tempo em que a sala única tinha quatro filas de mesas e cadeiras, uma para cada ano, onde se sentavam cerca de 15 alunos da minha aldeia e de outra vizinha. Os colegas que, como eu, não viviam a 300 metros da escola andavam todos os dias, a pé pelo meio de castanheiros, cerca de dois quilómetros, que separavam a minha aldeia da deles. Lembro-me que tinham direito a umas capas para a chuva e um par de botas de borracha de cores garridas. Lembro-me de também querer umas botas de borracha e de ir, de propósito e também a pé, a outra aldeia (que não era a deles) para as comprar.

Agora as cadeiras e mesas deram lugar a sofás e televisores. No verão havia pessoas, que ninguém da aldeia conhecia, que dormiam na escola. Quando passavam de carro, numa aldeia onde se conhecem todos os carros (não as marcas, mas os donos) alguém dizia invariavelmente... "devem ser os que dormem na escola".

Talvez um dia , também eu durma na escola. O que, a acreditar na minha professora de Biologia do 12º ano, não seria a primeira vez.

3 comentários:

Sandra Rocha disse...

Olá João.

É bom ler textos sobre o nosso concelho. Quanto ás escolas, sou a favor desta ideia, assim não morrem entre as silvas, é bom para as aldeias, pelo menos dão-lhe vida. Pelo que já li, as restantes vão funcionar centros de dia para os idosos. É muito útil, o nosso concelho está a envelhecer, infelizmente.

Cristina GS disse...

Mudam-se os tempos...

JvT disse...

Olá Sandra,

Também não tenho nada contra!