quinta-feira, 23 de agosto de 2007

10 Anos*

Quantas mães e quantos pais já escreveram, sentiram, pensaram ou disseram o mesmo que eu escrevo hoje ao ver crescer um filho ou uma filha? Não importa. É a vida que se renova em cada um de nós. E de uma maneira ou de outra vamo-nos revelando em cada respirar, em cada sentir.

Há dez anos atrás eu era outra. Pior, julgo. Menos generosa, menos desprendida, menos preparada para os outros. Primeira filha, primeira vez mãe. Um frio no estômago trazido pelo medo de falhar, de não estar à altura. Mas o amor pode tanto que me assombro. Uma assombração feita de luz e pó de estrelas.

Olho-a e vejo a promessa de uma bela mulher, mas no fundo dos meus olhos, bem lá no fundo, lá onde o olhar conflui com as linhas do coração, não deixarei nunca de vê-la como aquela bebé pequenina e enrugada que saiu de mim. O cheiro dela, não esquecerei nunca. Os sustos, as angústias, as saudades quando não está, estando sempre de qualquer modo. A cumplicidade que começa a despontar e o profundo encontro na troca de olhares. As confidências, os medos, a confiança dia-a-dia construída. Um caminho. Uma linha de traços descontínuos. Como a vida. As zangas, as discussões e depois os abraços profundamente sentidos, as lágrimas de alegria saídas daquele olhar de veludo, quando a paz regressa. A normalidade reposta. Não no sentido em que se cumprem normas, mas no sentido do respirar, do pulsar cadenciado dos sentimentos suaves, que têm por lastro fortes nós que nos unem.

Hoje é o teu dia, parabéns e obrigada por existires assim, tal como és.




*Escrito ao som de The Köln Concert de Keith Jarrett, (1975)

7 comentários:

JPN disse...

"há dez anos atrás eu era outra. Pior, julgo.". É exactamente isso que eu sinto em relação ao que era à sete anos atrás. Parabéns!

Cristina GS disse...

Olá Joaquim, obrigada por teres vindo à "festa" e or partilhares os teus sentires. Um abraço

CCF disse...

Texto bonito, do tamanho do amor! Parabéns à menina mãe e à menina filha.
~CC~

Prof. Teresa disse...

Parabéns a ambas. Belíssimo texto decerto pois belo e enorme também é o coração que o dita. Obrigado por existires e fazeres parte da minha teia Cristina! Um abraço!

Cristina GS disse...

Como me comovem vocês, mães também. E um pai que gosta tanto de o ser. Abraços apertadinhos.

3za disse...

Sendo eu "um outro tipo de mãe"... fico sempre feliz com o perfume a felicidade com que estes escritos e sensações inundam o ar... Parabéns às duas e ao senhor que combinou os seus genes com a Cristina.... :) que é como quem diz um outro tipo de mãe a que chamamos pai.

Cristina GS disse...

3za, há muitas formas de sermos mães, se formos sempre nós. Bjs grandes.